Depois da maior derrota sofrida pelo Brasil em toda a história do futebol, acredito que é hora de analisar o que aconteceu e tirarmos lições disso tudo. Lições que vão além dos Jogos do Mundial, lições que podemos utilizar em nossa vida pessoal e profissional. Listamos aqui algumas das lições que podemos aprender com a Seleção Alemã:

Lição 01 – Respeito e maturidade
Os jogadores da Alemanha deram um exemplo aos brasileiros não só dentro do campo — onde, além de realizarem uma partida impecável, não esboçaram um mínimo gesto de ironia ou desprezo pelo adversário, economizando até nas comemorações de gols a partir de determinado momento.
Após o final dos 7 a 1 que ficaram para a história como o maior vexame da Seleção Brasileira, os jogadores alemães deram várias demonstrações de respeito e admiração pelos derrotados. Chegaram até a postar mensagens carinhosas aos brasileiros nas redes sociais: “Vocês têm um país lindo, pessoas maravilhosas e jogadores de futebol incríveis — esta partida não pode destruir seu orgulho”, disse um dos jogadores.
A mesma atitude foi adotada pela página oficial da seleção alemã no Facebook. Acompanhada de fotos de torcedores e de jogadores da Seleção sendo consolados pelos goleadores, foi publicada uma mensagem em português: “Caros Brasileiros. Primeiramente gostaríamos de agradecer pelo carinho que estamos sendo recebidos por todas as pessoas em cada momento da nossa estadia no Brasil. Fora isto desde 2006 sabemos como é doloroso perder uma semi-final no próprio país. Desejamos tudo de bom e o melhor para o futuro para vocês.”
O meia Bastian Schweinsteiger chegou ao ponto de pedir desculpas pelo jogo. “Pena é uma palavra forte, mas eu gostaria de me desculpar com o Brasil. Não esperávamos um placar desses. Tentamos ser respeitosos jogando futebol e fazendo gols”, afirmou o jogador.

Lição 02 – Trabalho em Equipe
A conquista é mais fácil quando o individualismo é deixado de lado. Em um time, uma equipe, todos lutam pelo mesmo objetivo, não existe UM e sim TODOS. A conquista vem para todos. Ter o intuito de fazer o TIME alcançar o sucesso, faz toda a diferença na hora de buscar esta conquista.

Lição 03 – Reconhecer e saber trabalhar com as diferenças
A mistura de jogadores jovens e jogadores já experientes em Copas anteriores ficou nítida. Saber reconhecer e aproveitar das diferenças, unir e reconhecer as qualidades de cada um traz uma equipe mais equilibrada e competitiva.

Lição 04 – Aceitar a derrota e menos pressão

A Alemanha organizou o Mundial de 2006 em casa e não ganhou. Estava do início para o meio do processo de reestruturação. A derrota em casa para a Itália na semi não foi vista como fracasso. Aquela Copa é conhecida por lá como “sonho de verão” por ter resgatado o orgulho alemão por sua seleção e pelo país. A boa organização fez os alemãs entenderam que dali o time colheria frutos no futuro e que mostraram uma boa imagem ao mundo com a Copa, mesmo não ganhando. 


Lição 5 – Organização para se reestruturar

O jeito organizado do alemão pode ser usado como espelho. Os alemães hoje contam até com serviços de tecnologia que ajudam a seleção, como tecnologia SAP para analisar os rivais e ter em mãos estatísticas e dados sobre seus jogadores e os concorrentes. “Eles são organizados, dificilmente fazem loucas financeiras, por exemplo, se não têm como honrar o compromisso. Os gestores da seleção e de clubes são profissionais, enquanto aqui vemos muito amadorismo. 


Isso sem falar no show de humildade e humanidade que deram por aqui.

Diante de tudo isso, deixamos aqui nossos Parabéns à Seleção da Alemanha e que possamos realmente aprender com o que aconteceu!

Escrito por Equipe Editorial ESSA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.