Procedimento congela e mata as células de gordura para destruir os pneuzinhos



O que é a criolipólise?
Desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, a criolipólise usa baixas temperaturas para acabar com a gordura localizada. O aparelho é colocado na superfície da pele, fazendo as células de gordura serem congeladas a temperaturas negativas para serem destruídas. O dermatologista Cláudio Mutti, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que, em contato com a baixa temperatura, as células de gordura – chamadas de adipócitos – se rompem totalmente. Em consequência, o corpo entende que elas não fazem mais parte do organismo e as expele naturalmente. O tratamento vem fazendo tanto sucesso que está chamado de “a nova lipoaspiração”, com a diferença de que diferentemente desse método, a criolipólise não é um procedimento cirúrgico. 


Como é feita a criolipólise?

A criolipólise é feita com a ajuda de um aparelho específico cujos aplicadores acoplam-se perfeitamente às diferentes áreas do corpo. O endocrinologista Danilo Hofling, da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, conta que a ponteira do aparelho realiza um poderoso vácuo que promove a sucção da pele e da porção de gordura localizada. Ao mesmo tempo, o resfriamento intenso e controlado da gordura destrói as células de gordura. O resfriamento controlado age danificando seletivamente as células adiposas, que são mais sensíveis ao frio, sem causar qualquer dano a nervos, músculos e outras estruturas próxima. “Na prática o que acontece é a morte da célula de gordura”, explica.
O aparelho da criolipólise é adaptado para cada área do corpo. “Para a região da barriga existe uma ponteira grande, já para as costas e pneuzinhos laterais utiliza-se a ponteira menor”, explica a dermatologista Mariana Barbato, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 
A eliminação das estruturas dos adipócitos destruídas com a baixa temperatura é feita pelo sistema imune e a gordura no interior das células é conduzida ao fígado pelo sistema linfático para sua metabolização. Uma vez que o sistema linfático leva apenas uma pequena quantidade diária de gordura para ser metabolizada, não há perigo de sobrecarga do fígado nesse processo.

Resultados

A dermatologista Tatiana Jerez, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, conta que caso a

gordura removida na primeira sessão não tenha sido suficiente, uma segunda sessão pode ser feita cerca de dois meses após a primeira no mesmo local. “Não existem sessões de manutenção, para manter o resultado obtido deve-se evitar o ganho de peso, através de hábitos saudáveis: dieta balanceada e pratica de atividade física”.


Preço

De acordo com a empresa que produz o CoolSculpting, aparelho pioneiro que foi desenvolvido em Harvard para a criolipólise, o preço da sessão varia de R$ 1.500 a 2.500.

A criolipólise tem sido um dos tratamentos de redução de gordura localizada mais procurados e valorizados nas clínicas de estéticas em todo o Brasil. Muitos biomédicos, farmacêuticos, fisioterapeutas, médicos, esteticistas e demais profissionais da saúde estão se capacitando nesta área. Pensando nisso a ESSA oferece o Curso de Criolipólise no Tratamento de Adiposidade Localizada neste curso você saberá que se trata de uma tecnologia segura e que traz resultados concretos em 100% dos pacientes atendidos, desde que se saiba executar corretamente a técnica. Imagine a oportunidade de oferecer aos seus pacientes a eliminação de até 25% de gordura local em um única sessão? Não perca mais tempo, clique aqui e matricule-se agora mesmo!

Fonte: http://www.minhavida.com.br/beleza/tudo-sobre/16766-criolipolise-tratamento-estetico-elimina-gordura-localizada

Escrito por Equipe Editorial ESSA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.