Se você está antenado aos principais canais de comunicação, provavelmente também está bem informado sobre os impactos da pandemia causada pelo COVID-19 (Sars-Cov-2).

A situação alarmante pegou o mundo de surpresa,  durante os últimos meses e, à medida em que a doença dominava as principais cidades do planeta, os governantes bem como a própria OMS (Organização Mundial da Saúde) lançaram diversas campanhas na luta contra a propagação do vírus.

No brasil não foi diferente. O distanciamento social e encerramento das atividades não essenciais foram rapidamente impostos, assim como orientações de prevenção ao contágio, mas apenas recentemente tivemos o pronunciamento oficializando o uso de máscaras de pano como uma medida protetiva essencial. Tão logo a medida chegou,  vieram as perguntas, afinal, como devo utilizar a máscara? Ela é realmente necessária no dia-a-dia? Devo lavar ou apenas descartá-la?

Primeiro é interessante esclarecermos alguns pontos sobre o uso de máscaras de pano ou tecido. Deve se pensar nelas como uma barreira protetora, ou seja, elas devem impedir a entrada ou saída de corpos invasores em nosso organismo, principalmente transmitidos por gotículas de saliva que são expelidas na fala, tosse ou espirros. A partir desse anúncio, já podemos imaginar como posicioná-la, pois a eficácia da máscara depende muito da cobertura dos lábios e narinas. Uma boa maneira de saber se a sua máscara está correta é se você sente o seu nariz totalmente coberto e se o tecido desce até a curvatura do seu queixo. Ah, outra observação importante que se nota é que a máscara não deve mover-se no rosto, então nada de máscaras afrouxadas ou excessivamente largas! Ela deve se modelar ao formato do rosto e permanecer “fixada”.

Pronto, agora que você já sabe como colocar a sua máscara. Vamos repassar alguns cuidados no uso rotineiro:

Não toque na máscara e evite retirá-la.

Você já deve saber o porquê, mas não custa lembrar. Tocar em uma máscara que deve impedir a contaminação pode justamente fazer o efeito contrário, portanto evite tocar na máscara enquanto estiver em um ambiente não controlado. Se for necessário retirar a máscara para beber água ou se alimentar, jamais situe ela em seu queixo ou pescoço, você deve apenas retira-la por inteiro a partir dos elásticos laterais.

Troque e lave a sua máscara regularmente.

A recomendação é substituir a máscara  após aproximadamente duas horas. Evite períodos longos com ela ou traga uma reserva. Ao voltar da rua, lave e esterilize as mãos e deixe a máscara de molho para higienização. Água e sabão já se mostram suficientemente eficazes, mas você pode também optar por uma solução de 10ml de água sanitária e meio litro de água. 

A sua máscara é apenas sua!

Quem nunca dividiu algo na vida, né? Bom, mas neste caso isso não é bacana. A sua máscara é um equipamento de proteção individual (EPI) e deve ser de uso exclusivo seu! Então se você mora com mais alguém ou quer mostrar como é bacana usar a máscara incentive o uso, mas jamais forneça a sua própria.

Descarte correto.

Caso sua máscara seja de material descartável, tenha cuidado ao se desfazer do objeto. Posicione ela em um embrulho ou material que a cubra totalmente, isso será necessário para evitar a contaminação de quem faz o recolhimento.

Com cautela e zelo, a máscara é considerada um utensílio extremamente eficaz na luta contra a proliferação de microrganismos, e deve sim ser utilizada na vida cotidiana dos brasileiros. É imprescindível gerarmos a conscientização de seu uso correto, e quais são os principais cuidados a serem tomados. Esperamos ajudar a esclarecer algumas das dúvidas ocasionadas pelo uso das máscaras e alertar sobre a prevenção do nosso dia-a-dia. Enquanto isso, permaneça em casa o quanto puder e continue acompanhando todas as nossas atividades digitais em nossas principais plataformas!

Até breve!

Escrito por Equipe Editorial ESSA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.