Você provavelmente já ouviu de alguém que, para se dar bem e garantir um emprego, deve se investir o máximo de tempo e dinheiro em novos conhecimentos e refinar cada vez mais as suas habilidades técnicas. Seja quem for que te disse isso, realmente tem embasamento e razão em vários aspectos, já que o mercado de trabalho requer cada vez mais profissionais habilidosos e que tenham base para se destacar em suas atribuições. Contudo, pesquisas entre recrutadores de diversas áreas, apontam que apesar do conteúdo do currículo ser o principal motivo de contratação, o perfil comportamental, em contrapartida, tem sido o motivo campeão de demissões.

Para evitar cada vez mais dispensas indesejadas e aprimorar o nível das contratações, a missão dos recrutadores se tornou a caça de traços da chamada Inteligência Emocional em suas seleções. Esta característica está relacionada principalmente com a aptidão de lidar com sentimentos e reações emocionais, e apesar de serem sutis e difíceis de notar, na prática, os indivíduos que apresentam consistência em seu emocional, desempenham melhor em habilidades como adaptação, flexibilidade e fluidez em relacionamentos interpessoais. Apesar de ser considerado um artifício “novo”, vale bastante a pena prestar atenção em algumas características que são os “inimigos” do seu desempenho comportamental. Se você está de olho em uma vaga nova, ou quer se destacar na sua empresa, separamos algumas dicas para melhorar a sua performance:

  • Tem receio e evita se expressar

Não há nada de errado em ser uma pessoa introvertida, aliás, se você conseguir equilibrar este traço de personalidade, ser introvertido pode ser muito vantajoso para o mundo corporativo. Em contrapartida, se a balança apontar apenas para o seu lado fechado, isto pode virar um problema. Profissionais que não se expressam tendem a evitar apontar queixas ou mesmo melhorias, o que não é visto com bons olhos para uma gestão eficiente. Então, se você é ou está muito calado no ambiente corporativo, vale a pena começar a se comunicar mais! Tente se comunicar com colegas que tem mais afinidade ou apresentam confiança, eles podem te ajudar com o primeiro passo.

  • Não procura novos aprendizados

O mundo, dentro e fora de uma empresa, é rotativo. Permanecer sempre em constante movimento não só garante a sua sobrevivência corporativa, como também pode ajudar você a melhorar no seu desenvolvimento pessoal. Obviamente, ficar estagnado em uma mesma posição não fortalece em nada o seu desempenho, então vale sempre a pena procurar melhorar, e neste sentido você pode se aventurar de diversas maneiras, o importante é procurar uma atividade nova e se arriscar!

  • Não se desliga de problemas!

Sim, sabemos. Você está cheio de problemas que se amontoaram em uma pilha alta, e cada vez mais fica difícil de resolver. Concordamos que ninguém gosta de problema, ainda mais quando eles vêm de todas as direções e te acertam em cheio. Mas, se você é daqueles que não consegue descarregar o peso quando abre a porta do trabalho, sentimos dizer, mas esta ancora pode te afundar! Problemas pessoais, familiares, financeiros ou de qualquer outra natureza, devem ficar da porta para fora da sua empresa, ou isso se tornará um agravante em seu desempenho ou mesmo um empecilho em uma nova contratação.

De todas as formas, a inteligência Emocional veio para ficar. Recrutadores e gestores se mostram cada vez preocupados por profissionais preparados tecnicamente e também em seu psicológico, o que muitas vezes significa mais resultados e profissionais consistentes e motivados. Procure exercitar mais os seus pontos fortes e se policiar nos negativos, isso pode garantir novas oportunidades ou mesmo evitar um desligamento!
Fique atento ao site da ESSA para mais conteúdos como este!

Até breve!

Escrito por Equipe Editorial ESSA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.